sábado, 12 de abril de 2008

aprender(-me)

Há dias que são importantes porque nos ensinam a ultrapassarmo-nos.



De repente uma sala a que conhecia os cantos torna-se mais pequena, cheia de gente crescida…, sem espaço por onde fugir.
O silêncio desmascarava o espanto.
Eram muitos os olhares… preenchidos, seguros, perdidos, cúmplices… Todos a sugar o meu. Sentia-o a bailar num mar transparente… (pro)fundo, onde ninguém se podia afundar. As palavras simples seriam refúgio se não dançassem com os ventos fortes dentro das portas fechadas.
Contar histórias para a vida de uma vida passada difícil de viver é olhar para o medo e sorrir… recordar e aprender(-me).




3 comentários:

de dentro pra fora.... disse...

Cada dia que nasce, é como se fosse um renascer para cada um de nós...
Renascendo,..aprendendo..

camisa negra disse...

"A palavra torna-se berço para aprendermos a espontaneidade do dizer"

Joseph Sayegh

=)

Minerva disse...

E foi assim que nesse dia olhastes para o (teu) passado...
Sim, há dias importantes! Muitos...

Beijos