sábado, 15 de abril de 2017

Novo começo...



O caminho foi longo e exigente,
Cheio de um sentido difícil...
Feito num caminhar desconcertante 
De quem adivinha o fim.

Foram dias, foram noites
Foram gritos (d)e silêncio...
Crucifica-se o medo...
Implora-se o amor.

Precipitou-se o fim...
Cheio de um novo começo...
Assim é a Vida...
Um Amor maior...
... sem fim...



segunda-feira, 6 de março de 2017

Até ao fim...

Sufoca-me o desespero 
Do silêncio em que espero
E assim há-de o tempo passar
Até o fim se afirmar...

Entristece-me este tempo
Que na volta virou contra-tempo
Em que sinto sem poder 
O que sou sem ser...

Derruba-me a força das palavras
Que morrem presas
Até ao fim... 




quinta-feira, 2 de março de 2017

Ficaram as cinzas...



Desfizeram-se as profundas certezas
Incendiaram-se as agitadas incertezas 
E ficaram as cinzas...
... a minha pequena fragilidade...
A minha verdadeira pequenez...
A poeira levantada no silêncio 
Do caminho da livre reclusão... 
E é assim, feita pó de nada,
Que continuo retirada em mim,
Rumo ao fim que será recomeço.



segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Ao fundo o fim...

Ao fundo o fim... 
Tão próximo que assusta,
Tão longe que desespera...
Tão certo e desfocado
Como incerto e injusto.
Ao fundo o fim...
Tão meu e sem mim,
Tão pouco meu e comigo...
Tão cheio de tudo
Como vazio...
Ao fundo o fim...