quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Caderno preto

Chega ao fim mais um caderno,
De um preto quase terno
Pelas cores que esconde dentro...
Das palavras ao (des)encontro
Do sentimento pensado,
Do pensamento negado
À poesia que se escreve
Com a (im)perfeição com que descreve
Apenas tanto quanto o amor.




Ni

4 comentários:

joaquim disse...

Caderno valioso, que espero ver e ler um dia publicado!

Ni disse...

Oh Joaquim, este já é o segundo... e acho que nem s dois juntos dariam um livro... Pode ser que à terceira seja de vez...
Obrigada.

José António Carneiro disse...

Eu apoio o joaquim. Alias o joaquim faz o prefácio e eu o posfácio. Combinado?...

Ni disse...

Sim, se acontecer..., está combinado.
Obrigada...