sábado, 27 de outubro de 2012

Obrigada... pelo que és em mim!

Senhor, meu doce Deus, sei que sempre assim foi, mas andas a desarrumar o meu coração com a intranquilidade que o Teu Amor me causa.
Reconheço a minha forma estranha de Te rezar... Às vezes, quase não dou conta... E quando achava que as inquietações vinham do pensamento, são afinal desabafos e perguntas, tantas vezes num tom zangado e desesperado, que sussurram e gritam do coração e da alma.
Quantas vezes Te assalto com perguntas feitas críticas, com incompreensões e fragilidades e faço disto um monólogo meu à espera de respostas Tuas... E, quando por fim as perguntas se repetem insistentemente, eu paro..., respiro fundo, numa tentativa forçada de oxigenar profundamente o sentir..., e agradeço-Te o que és em mim. E Tu, que me deixaste resmungar na minha pequenez, aconchegas o meu coração com um sorriso e adormeces-me sem pedir, sem forçar... nem mais um "Obrigada..."
Admiro a Tua paciência e a Tua bondade..., a Tua doçura, o Teu Amor... inquietantes e inexcedíveis.
Obrigada pelo que és em mim...!






Ni

3 comentários:

joaquim disse...

Ah, pois, e Ele gosta tanto de nós assim, com perguntas, dúvidas, inquietações!

É a Fé viva que Ele mesmo nos dá!

A Fé dinâmica dos que O procuram incessantemente, para depois n'Ele repousarem, na paz que é só d'ele para todos nós.

José António Carneiro disse...

Soubéssemos rezar assim tantas vezes, quantas as vezes Deus nos ama assim! Obrigado pelo que és!

Bubuleta disse...

identifiquei-me tanto com o que escreveste. quantas vezes resmungo com Ele... mas acabo sempre por agradecer o quanto Ele é importante na minha vida. bigada pela partilha Ni. Que saudade de te ler. Obrigada a ti tambem por teres voltado. Beijinho.