segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Indescritível beleza

É indescritível a beleza,
Que para além da distância
E da (in)existente ausência,
É, de certeza,
O que me faz sorrir
E sentir... (sim, sentir!)
Só de imaginar
E, por loucura, jurar
Que sorrio por ver
Na alma dos meus dias a aparecer
E a ficar...
Para todo o tempo poder amar.




Ni

4 comentários:

joaquim disse...

As palavras, belas como sempre, dizendo numa penada, o tudo da pessoa que ama, e é amada!

Belo, Ni, muito belo!

Ni disse...

... Obrigada!

José António Carneiro disse...

Com palavras assim todos os gestos fazem sentido! Belas palavras!

Ni disse...

As palavras nascem do sentir... e do sentido. Muito Obrigada...