sexta-feira, 27 de julho de 2012

(im)perfeição

Este poema escreve-se na alma,
Ditado pelo coração,
Com carinho e calma,
Para explicar à razão
Que o que escrevo com amor
Não pode ser senão perfeito,
Porque de tudo quanto é feito
É tão somente a (im)perfeição do amor.

...







(Há poemas que se escrevem assim... sem pedir... e (im)perfeitos demais para serem lidos.)


Ni

3 comentários:

Hugo disse...

Nunca deixes de escrever...nunca deixes de sonhar...nunca deixes de sorrir :)

joaquim disse...

Belíssimo ... o que é uma imperfeição para aquilo que eu gostaria realmente de conseguir dizer.

José António Carneiro disse...

Uau... Cada vez mais rendido à beleza escrita nas tuas palavras. Obrigado Ni