domingo, 28 de dezembro de 2008

sem palavras que se leiam

Dias inteiros sem palavras que se leiam…
As palavras tocam o silêncio e as frases quebram-se a cada volta deste turbilhão que sinto.


6 comentários:

Carla Sofia disse...

O turbilhão pode fazer mudar algo da nossa vida...
beijinho

Cris (Mahinder Kaur) disse...

Ni,
deixa que sejamos nós a julgar se a tuas palavras se lêem ou não. Mas também não escrevas, se assim não quiseres. Por vezes é o silêncio que arruma o turbilhão, ou a cadência do mar a bater na areia, ou o uivar do vento e o farfalhar das folhas quando ele passa, ou o raio de sol que nos bate em cheio no rosto e nos aquece por dentro também (digo muitas vezes estas coisas, porque, de facto me fazem bem).
Um xi com uma pitada de carinho

Pinipom disse...

Há Silencio que dizem muito... há palavras que por muito que sintamos nao dizem o que trazemos dentro do peito...e há imagens que valem por mil palavras e mil silêncio e esta que escolhes-te mostra que apesar do turbilhão trazes sempre um cor para alegrar (meu) dia

beijo solto querida Ni

Neia

elsa nyny disse...

Deixa silenciar as palavras envoltas no silêncio, deixa que sejam fracas e se anulem no silêncio, deixa, deixa...para depois voltarem mais fortes, mais tuas!


Beijinhosssssssssss

Cris (Mahinder Kaur) disse...

Ni,
voltei para te desejar um Ano Novo imensamente feliz!
Beijocas! Chuac!

Minerva disse...

Eu também ando assim... Mas não eram estas as palavras que te vinha deixar.

O próximo ano está quase, quase a chegar, e eu quero que entres nele de cabeça erguida e convencida que vais conseguir ter tudo aquilo que desejas. Vais ver que assim vais conseguir... E quando achares que não, Alguém te irá dar a mão, tenho a certeza disso.

Tu és linda NI, gosto muito de ti.

beijo grande