quinta-feira, 2 de outubro de 2008

voa agora...

O que vêem os olhos que já não nos olham aqui? Como brilham? Como sabemos se ainda sorriem por nos ver?
Lembro-me bem do brilho daqueles olhos grandes… negros. E até de como sorriram, mesmo já tão doentes por, melhor que eu, sentirem a realidade quase no final. Mas nem assim esconderam a esperança… e eu quis acreditar que as forças chegariam.
Aprendi que a vida deixa de estar nas nossas mãos quando a jogamos para lá dos nossos limites… mas que nem assim deixa de nos pertencer.
Lembrar-me-ei sempre de ti.


4 comentários:

joaquim disse...

E voou...liberto agora do peso corporal, voou nas asas do Amor eterno que dá leveza ao ser.

E continuará a viver no coração dos crentes.

Abraço amigo em Cristo

Cátia disse...

A perda, a ida nunca é facil... Mas como diz o Joaquim, voou nas asas do Amor eterno. Há que acreditar...

Querida, deixo-te um abraço apertado de conforto. Estou aqui para o que precisares, tu sabes...

Entretanto deixei-te um desafio no Ticho... aceita-lo? Passa por la...

Beijinho grande

Sei que existes disse...

Belas e sentidas palavras. Há que seguir o caminho...
Beijocas grandes

Kleine Hexe disse...

Ni, gaivota que és, sabes bem qual é o caminho...gaivota que se foi no céu de um coração sempre sem fundo de céu azul brilhará dentro de ti.
Sabes, faz do pensamento a asa do encontro e lá o encontrarás.

Adoro-te Mana, estou contigo!
Força...