quarta-feira, 2 de julho de 2008

gostava de ser

Quando somos pequenos e só queremos brincar e crescer depressa, respondemos, acho que inocentemente, a duas perguntas que os adultos gostam de nos colocar.
Quando me perguntaram se fosse um animal qual gostaria de ser, sei que respondi “passarinho”, mas não sei qual foi a profissão que escrevi no caderno quando tive de dizer o que queria ser quando fosse grande…
Hoje, que já escolhi a profissão, gostava de ser sempre pequena e ser capaz de, com a simplicidade do coração das crianças, conseguir das pessoas o sorriso que elas arrancam lá de dentro.


6 comentários:

Minerva disse...

Eu acho que nunca deixei de ser criança... :)

Bj NI

Cris disse...

Bom, Ni, o meu sorriso já foi arrancado, sem muito esforço! :)

Cátia disse...

Está em nós o poder de manter a criança que sempre existiu. Sorri, sê expontanea, e diz sem pensar o quanto gostas dos que te rodeiam, e aí sim, acredito que o sorriso nos outros será desenhado...

Obrigada pelo sorriso que desenhaste no meu rosto.
Bj

silvino disse...

sim,sim. continuas a voar e a arrancar sorrisos :)

joaquim disse...

A simplicidade profunda com que escreves é o teu "seres criança".

Abraço amigo em Cristo

de dentro pra fora.... disse...

Com simplicidade se conseguem as coisas simples como o sorriso :))
Simplicidade acho que é coisa que não te falta...guarda sempre um pouco da criança que todos temos dentro de nós...não a escondas nunca :))