quarta-feira, 18 de junho de 2008

a falar comigo


Sinto-me egoísta. Afinal, a felicidade dos que gostamos não chega. A nossa felicidade precisa de nós.
Há dias que me fazem acreditar que os outros são loucura, que não há esforço que não se canse de inventar o que não existe num espaço e tempo que crescem de vazios.
Tudo está como deixei. Ninguém. Sem televisão e música não há barulho, não há vozes para além da minha a falar comigo. Se adormecer no sofá, acordo quando o pescoço doer e amanhã as marcas são as minhas. As luzes não se apagam. A comida não espera e não demora. As janelas só vêem o que deixo. Nem a água quente arrefece de outra torneira aberta. As folhas, dossier’s e livros espalham-se à vontade na mesa. Dou comigo a pensar para não falar, a achar as palavras difíceis de partilhar…
Nem há gestos. Sozinha não há gestos.



Não são todos os dias assim. Hoje só é mau porque amanha é melhor.

6 comentários:

silvino disse...

pois ainda bem q somos egoístas! só conscientes disso, poderemos ser protagonistas principais da nossa vida e com discernimento de escolher aquilo q queremos q seja a razão da nossa felicidade:)

de dentro pra fora.... disse...

Há " dias cheios de tudo" e há outros assim, cheios de nós... sem por isso ser egoísmo...

Rosa disse...

Espero que o dia de amanhã seja realmente melhor.
Repleto de gestos.

Que tenhas uma boa noite.

R.I.

Minerva disse...

E o hoje foi o amanhã de ontem

:D

Espero que estejo tudo melhor hoje.

Bjs

Carla disse...

também gosto de ser egoísta o suficiente para não me esquecer de mim...belo texto
bom fim de semana
beijos

Indie* disse...

Pronto, e só para destoar neste mar de post's e comentários bonitos-sinceros-pensativos...:
Isso é tudo porque estavas a estudar uma certa cadeira protagonizada pelo famosíssimo Homem dos Suspensórios, confessa!! :P

E assim me despeço, enleada pelas minhas constantes barbaridades! Mas deixando-te um beijo enorme e "aquele-abraço" de sempre!
Até sempre! Até já! Adoro-te! :)