segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Beleza do verbo amar


Pés assentes na areia,
Olhos no limite do mar,
Alma que vagueia
Na beleza do verbo amar.

O sol a beijar o sonho
Que a brisa faz planar
Entre os limites do pensamento
E asas indomáveis do sentimento.

Pés assentes no sonho
Com asas a fazer voar
Para além do limite do mar...
Toda a beleza do verbo amar.





Ni

2 comentários:

José António Carneiro disse...

Voa, voa... Deixa-te voar, sonhar e amar!

joaquim disse...

Belíssimo!