domingo, 5 de outubro de 2014

Às vezes...


Às vezes preciso parar
De correr em vez de caminhar...
Parar de tentar perceber
O que acontece sem eu querer...

Às vezes preciso correr
Para fugir do que penso sem querer...
Correr para lá do fim do mar
Onde se conjuga o verbo amar...

Às vezes preciso pensar
De que vale acreditar...
Pensar se o que escrevo assim
Não merece ter um fim...

Às vezes...









Há dias, fases, voltas e revira-voltas, medos, alegrias, dúvidas e certezas que me fazem parar e perguntar o que faz sentido aqui...


Porque todos os momentos, pormenores, comentários... me devem fazer pensar... Eu penso...


Talvez um dia perceba o que faz sentido aqui... e como... neste meio branco escuro.



...
Continuam a escrever-se devaneios meios loucos em cadernos guardados em gavetas...




Ni

2 comentários:

poetinha Armeniz Muller. disse...

Eh, Ni...
Nem pensar em ao menos querer pensar em parar, viu?
Bem ao contrário, venha e invada o território e os corações brasileiros, com essa tua poesia pungente e maravilhosa que o meu, há muito tempo, e já conquistou por inteiro... Quero você nas minhas páginas para beeeem mais agradar os meus milhares de leitores, Ok?
Estou no...
http://palavreadomarginal.blogs.sapo.pt

e no...
http://blogdopoetinhaarmeniz.blogspot.com.br

e no...
http://Facebook.com/AcirNizopoetinhaArmeniz

Abraços,
Armeniz Müller.
Um baita dium poetinha lapeano, estendendo as fronteiras das boas e saudáveis amizades virtuais...
poetinhaarmeniz@Gmail.com
poetinhaarmeniz@sapo.pt

F!l disse...

Desistir nunca Ni... Podemos parar para descansar... mas para que se consiga recuperar o fôlego, para as etapas seguintes. Beijo leve... 'Tou por aqui :) *