segunda-feira, 22 de abril de 2013

Quero ser como tu...

Tem 8 anos e uma história que não cabe em tão pouco tempo... Já sofreu o que a vida inteira não há-de esquecer e que os gestos e o olhar não conseguem esconder.
As poucas e forçadas palavras, a voz triste e decidida tornavam a conversa ainda mais difícil. O ambiente (que odeia e que relembra cada instante profundamente doloroso) não ajudava nada.
Tentei mudar tudo, vestir o ambiente do que não a importa, dar à minha voz uma doçura que se transmitisse a ela, dar a cada gesto uma explicação e o carinho que não se explica...
Consegui descobrir que gosta que lhe chamem "Di".. Sorri e disse-lhe que éramos parecidas..., que a mim gosto que me chamem Ni...
No fim, depois de ultrapassar muitas memórias, as lágrimas incontidas quase lavavam o sofrimento entranhado...
Perguntei como ia a escola e agora que já não era pequenina (altura a que associa tanto sofrimento), se já sabia o que queria ser quando fosse grande... Respondeu-me depressa: quero ser como tu!
Fiquei sem grande resposta, mas sorri-lhe e disse que ela é capaz!





Ni

4 comentários:

Carla disse...

Lindo, Ni...
Que Deus te guie sempre nessa tua missão.

just me disse...

A tua missão (também) passa (eu leio e creio) por seres (simples mas maravilhosamente) a Ni!

Ni disse...

Obrigada!
Carla, espero que sim... Só com ele é possível.
Just me, obrigada...! Muito obrigada... Fico, simples mas maravilhosamente, sem palavras.

Kleine disse...

Lindo Ni...que saudades das tuas maravilhosas palavras.Beijinhos!
Porto de Abrigo.