sábado, 9 de março de 2013

Dia de deserto...

Percebo o deserto dos dias num dia de deserto.


Confesso, nesta minha dificuldade de o fazer, que me encontrei no deserto...
Encontrei-me no deserto dos dias em que corro e faço, irracionalmente, correr de forma tangente à banalidade.
Reconheci-me no andar direito e (in)seguro rumo ao recanto de oração, lá no fundo, passando, conscientemente ao lado do espaço de reconciliação. Reconheci-me neste desperdiçar de oportunidades... Achei que seria capaz no caminho de volta...
Encontrei-me ali, no deserto..., naquele canto deserto de solidão, de pressa. Parei e (re)conheci-me...
Ajoelhei-me e pensei rezar... Depois acho que rezei sem pensar. No Teu corpo ali suspenso a preencher o ar que respirava, na Tua eterna presença como alimento e sustento, vi toda a minha Vida.
Agradeci cada dia, reclamei como todos os dias... Eu gritava e Tu sussurravas. Fixaste o meu olhar num silêncio (en)cantado. Estava ali... eu e Tu... num deserto feito oásis. Sorri... e chorei... Senti-me deserta do medo de aceitar todo o Teu Amor e agradeci-Te, no meu jeito tão imperfeito e resumido: Obrigada por tudo o que és em mim.





Ni

3 comentários:

Elsa Sequeira disse...

Lindoooo, amei NI!! (Há quanto tempo :) bjtsss

joaquim disse...

Belíssimo Ni, como sempre!

Mas sobretudo vivido!

Helena Nogueira disse...

E quem viu e esteve no DESERTO... pode não ter tido oportunidade de fazer "deserto" porque nem sabe o que é e para que serve... ou porque atento a outra "missão".
Neste DESERTO em que também estive... e "não estive" da forma como queria... revejo-me neste "desabafo" que mais parece um "espelho que reflecte o que vai dentro de alguém muito sensível" e se questiona diariamente... porque razão o que "VEMOS E SENTIMOS"... não é visível para tantos outros.
OBRIGADA... pela partilha... Lena Nogueira