domingo, 20 de janeiro de 2013

Estou a aprender a amar...

Aprendo cada dia a sentir
Que o tempo passa como eterna novidade
E que leva e traz a saudade
Sem dar espaço à razão para existir...

Aprendo que o coração sente a distância
Como a dor intratável da ausência
Do olhar que não se vê,
Da voz que não se ouve,
Da pele que não se toca,
Do abraço que não se troca...,
Do silêncio (en)cantado
Em cada sorriso partilhado.

Aprendo que tenho de aprender
Que nunca mais que isto vou perceber...
E que basta, feliz, aceitar
Que estou a aprender a amar.





Ni

1 comentário:

José António Carneiro disse...

E é tão bom aprender sempre...