quarta-feira, 27 de maio de 2009

Reviravoltas

Pensei muito antes de vos escrever hoje. Faço-o há algum tempo… já longo.
Iniciei este blog a pensar conseguir (d)escrever-me e partilhar dias de uma forma mais (ou menos) abstracta. Imaginei que isso seria sempre possível. Talvez fosse defesa. Sim. Talvez. Não nego. Parece que assim me sentiria mais confortável, como que com uma capa resistente e sem formas que esconde o que somos. Mas conheci-vos. Obrigada. Conheci-vos e fui, aos poucos, deixando de ser capaz de me descrever sem formas, corpo e alma. Partilho-me quase sem dar conta por não doer. É assim nas descobertas, nos dias felizes e tristes.
Sabem? Admiro tudo o que escrevem, mesmo nos dias tristes, porque até fica bonito. Mas conheci-vos e ler-vos tristes custa. Sei que são fases. É assim a vida… cheia de voltas. É isso. A vida habituou-nos a dar voltas e a voltar. Só ainda não tinha descoberto que há reviravoltas tão difíceis e demoradas de passar. Impossíveis?! Não sei. Não percebo.








Já esperei o tempo… todo o tempo. Já alarguei o tempo de esperar. Sonhei. Alarguei e reconstrui sonhos. Adaptei-os ao tempo que (não) passa. Acho que inventei desculpas para que doesse menos. E agora, que as desculpas se cansam, dói mais.
Acumula-se o tempo e a falta de tempo, os sonhos apenas sonhados… E eu estou triste. E não sei escrever-me assim.
Nunca a vida me tinha dito que havia voltas em que não nos dá o que nos promete. Um abraço. Aquele abraço. São bons aqueles que pequeninos correm desde longe de braços abertos, mas não são todos. Falta aquele. Aquele que não corre mas pára. Pára o tempo. Eterniza(-nos). Falta. Sinto falta. E isto não passa.

Sabem? Aprendo também que triste não se estuda bem. As letras acumulam-se em montes em forma de linhas, uma lágrima faz com que batam desfocadas e eu tento ler. Leio e releio e nada. Dou por mim longe, só a pensar, lembrar, sonhar…
Aproxima-se a época de exames e tudo parece loucura. Uma estranha loucura em tons de cinzento.
Não. Não é o fim do nosso Branco Escuro. Ponderei, mas não. Não, porque imaginei escrever-vos em tantos momentos felizes. Não, porque, para além de mim, eu sou eu e o que sonho.
Vim pedir desculpa pelas poucas cores, pela falta de palavras, pela falta de tempo e pelo louco tempo que me (ainda) espera.
Vim… tentar consciencializar-me que há voltas que não voltam. Não consegui. Sonho.


16 comentários:

Antonio Valerio, sj disse...

Força, Ni... Acredito e confio que um dia te verei escrever sobre a alegria. è preciso que não deixes de acreditar nisso. beijinhos

Marta Sousa disse...

Talvez a tristeza e a alegria sejam não mais que momentos fugazes na nossa vida. A maior parte do tempo para a maior parte dos Homens é de uma estranha passividade.

Convido-te a visitar o meu novo projecto:
http://omphalosdementia.blogspot.com/

Cumprimentos.

Magnésia disse...

Olá Ni...

Eu cá não sei se gosta de Paulo Coelho eu (para teres noção) só de ouvir o nome nem queria saber mais...mas hoje em dia dou comigo a ler não um mas já vários livro deste autor. A relação com isto tudo, com os post´s? Muita. Gostava que lesses um livro que se chama Veronika decide morrer - e não te assustes com o título...que eu também fiz caretas...

Pelo menos as letras fluem e os cenários são bem preto no branco.

Beijinhos, és importante para muita gente - acredito.


Kleine Hexa ou Magnésia...tanto faz.

Cris (Mahinder Kaur) disse...

Pois,Ni, aquele abraço não vem. E dói. Se calhar é para deixar doer, sem desculpas. Porque da mesma forma que as desculpas se cansam, também a dor. Gostava de te ver bem. Não te conheço pessoalmente, mas aprendi a gostar de ti, porque pressinto um grande Amor no teu coração. A vida é sempre mais difícil para quem tem um grande Amor no coração. É cruel. Venho sempre ler-te, sinto-te sempre triste e isso também dói a mim. Não tenho aquele abraço que queres, mas é teu com o melhor dos sentimentos. É o melhor que te posso dar.

Violeta disse...

Como te compreendo...
há dias em que a tristeza é mesmo tão dificil de escrever que um silencio simplesmente diz tudo =D

e o abraço..também sinto falta... daquela abraço que faz parar tudo e fazer de conta que o mundo é nosso so por um segundo... faz falta... eu dava-to se soubesse onde morasses so pra eternizar esse momento e aliviar a tua dor... =D

beijinho

e força

tou contigo sempre


adr-t

Rosa disse...

Olá Ni
Creio ter percebido que "cansaste" de sofrer, de esperar que a vida dê voltas para te dar o que esperas.
Ainda bem.
Já não era sem tempo, de te ler, te ouvir e te ver com "poucas cores".
Se "aquele sonho" não é realizável partimos para outro (temos tantos) e ficamos então com a sensação de que talvez o anterior não fosse o melhor para nós...

Ni, bons estudos.

Para desanuviar sempre podes ir até lá baixo (praça) se bem que não se aprenda lá muita coisa :))
Beijos e sonhos realizáveis :)

Um fim de semana cheio de sol...

de dentro pra fora.... disse...

todos nós temos momentos menos bons, com menos alegria, menos cor... o importante é não perdermos muito tempo a pensar neles, pois enquanto pensamos neles podemos estar a perder a beleza do momento que passa bem diante de nós...
Faz um esforço todos os dias para sorrir mesmo que te apeteça chorar...vais ver que quando sorris tudo fica mais fácil :)

Sol da manhã disse...

Um abraço muito grande Ni!

Força, estou com esperanças de te ver a escrever alegre! Ó se estou :)!

SHALOM SHALOM SHALOM

Anawîm disse...

Ni...

oh Ni...

Este é um daqueles dias, ou noites, em que te ofereceria um camião de Sugus... ehehheheh... ou só meio, pronto, mas mandava-te de qualquer modo os papelinhos de cores dos que revelassem a minha gulodice...

Mas leio-te e deixo-te aqui só isto:
Estou aqui, estou muito contigo!

figlo disse...

Ni,os abraços que não recebemos... só podem ser muito menos apertados e belos que aqueles que damos e,...neles nos damos...Nas voltas desses abraços a Vida se faz Novidade, Alegria, Esperança e Dádiva...e Hoje é sempre um Dia Novo! O Primeiro Dia! Tudo está ainda no princípio...a esperar por nós...Um abraço! Glória

monge disse...

olá Ni

já tinha notado que não gostas de te escrever triste, mas não te deixes abater. Nós, tudo temos cá dentro e cada músculo que mexemos, cada palavra que dizemos e até mesmo o ar que respiramos faz vibrar em nós o reflexo da nossa vontade de viver.
Inicialmente, ao começar a ler o post, julguei que ias encerrar o blog e já começava a sentir saudades das tuas palavras. Mas também não escrevas se não te sentires para o fazer.
O tempo, esse eterno carrasco, que teima em separar-nos o corpo da alma, por vezes também nos aconchega em momentos intímos e agradáveis. Aproveita-o para te encontrares contigo.

Beijinho

Anita* disse...

pensamentos ツ

joaquim disse...

Ni, amiga que vou aprendendo a ler e que sempre me faz pensar.

Venho aqui, leio e depois tenho de voltar porque só então posso ou consigo comentar.

Dar-te o meu abraço, não o repito porque sabes que ele está aqui sempre!
Dar-te a minha alegria, não consigo!
Porque se conseguisse
dava-ta toda inteira,
nem que eu ficasse triste
apenas por um dia!

Hoje, se Deus quiser, uma grande amiga, lutadora sem igual, volta à sua casa depois de tempos terriveis no hospital.

Alegra-te com ela e por ela no Deus de bondade que nunca nos abandona.

Rezo pelos teus exames, reza também pelos meus.

Aqui continuarei a vir à espera de encontrar o texto que te fez sorrir.

Abraço muito amigo em Cristo

Anónimo disse...

Querida, e Amada de Deus . Quero que estejas Feliz , pois sabes EXISTIR FELIZ . Deus é só "Bom" e que esteja juntinho de ti é o que quero.
fica bem .
bjnhos.

Vida disse...

Minha querida Ni,

Estive longe... muito longe...pensei que não voltava a ler-te... pensei que não voltava... mas hoje aqui estou...
Minha querida e doce amiga, é verdade, a vida dá voltas e reviravoltas... e tu não imaginas (ou deves imagina) que no meio dessas voltas tanta coisa muda...
No meio dessas reviravoltas amamos, rimos, sofremos, choramos, estamos alegres, tristes, perdemos alguns pelo caminho, ganhamos outros...
E no meio dessas reviravoltas eu conheci-te... triste?! Alegre?! Que interessa??? O que realmente interessa é partilhares aquilo que es e como estás no momento...
Sabes? Aprendi que Deus não nos dá nada que não possamos aguentar. O peso da cruz que transportamos na nossa vida não é superior às nossas forças, é proporcional e ainda por cima Deus ajuda-nos a carrega-la. Ele é maravilho e extraordinário... tudo sabe sobre nós...
Amiga, o caminho já o descobriste... vai! Não hesites... percorre-o sem olhar para trás! Caminha! Se sentires que um obstáculo te priva de seguir em frente, não olhes para trás... olha para o teu lado! É lá que eu estarei(e mais que eu estará Deus)... PORQUE A AMIZADE APLAINA O CAMINHO! E DEUS AJUDA A APLANA-LO...
DESTA TUA AMIGA QUE TE MA MUITO E QUE QUER SER MAIS UMA NA TUA VIDA, ALGUÉM QUE MESMO LONGE, ESTÁ PERTO... PORQUE A DISTÂNCIA SÃO AS BARREIRAS QUE COLOCAMOS AO NOSSO REDOR E NÃO OS QUILOMÉTRICOS QUE NOS SEPARAM. NÃO HÁ BARREIRAS ENTRE NÓS.
Dou-te amiga, o que tenho e sou: olhos para te ler, ouvidos para te escutar, braços para te ampara (porque aquele abraço chega quando menos esperamos), boca para contigo dizer a dor e as perguntas que te atravessam a alma.
Peço-te ainda desculpa, por não ter lido em ti um mundo tão denso que te habita...
ESTOU AQUI... FORÇA E CORAGEM...
Rezo por e contigo...

Pai Nosso...

Beijão enorme na paz de Cristo

Vidas (MJG)

José Cruz disse...

Já viste a sorte que tens?

E eu posso dizer que também faço parte deste grupo...

Beijinho
Vemo-nos daqui dois anos, né?